Tempo Seco maltrata população em MS

26

Inaladores e umidificadores de ar devem ser utilizados constantemente neste período sem chuva

Nos últimos dias a população campo-grandense tem sofrido com o tempo seco e a falta de chuvas na Capital. Como consequência desse fato, ataques de doenças como rinite, sinusite, gripe e doenças de pele estão no topo da lista de maior incidência. Os sintomas mais frequentes da rinite são a coriza (secreção clara que escorre do nariz), os espirros, a coceira no nariz e o nariz entupido.
Já a sinusite apresenta obstrução nasal ou secreção nasal associadas a pelo menos um destes sintomas: pressão ou dor facial, redução ou perda de olfato, mau hálito, tosse, dor de ouvido e, em alguns casos, náuseas.
E por fim a gripe tem sintomas mais comuns como febre, tosse, dores no corpo e cansaço. Segundo o pediatra Dr. Alberto Jorge Costa, o movimento nos consultórios por conta do tempo seco aumentou de 20 a 30%. “As crianças, por terem vias aéreas com calibre menor, sofrem mais com este tempo”, disse.
E, se depender da previsão do tempo, os casos devem aumentar.
O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) disparou um aviso de perigo para Mato Grosso do Sul, com riscos potenciais à saúde. Segundo o aviso, a umidade relativa do ar deve variar entre 25% e 10%. Os municípios mais atingidos são Aquidauana, Alcinópolis e Aparecida do Taboado.
Com poucas possibilidades de mudanças no tempo seco que vem causando esses males, você, leitor do JNE, pode seguir os conselhos do nosso entrevistado, Dr. Alberto Jorge. Tenha uma atenção especial com sua hidratação e umidifique os ambientes com toalhas molhadas ou baldes com água. Use e abuse do soro fisiológico, pois para seu uso não existem restrições.  S