Exposição apresenta soluções sustentáveis para moradias e comércios na Capital

31

por Jhoseff Bulhões

A mostrar Morar Mais Por Menos teve início no último dia 11 em Campo Grande. O evento tem duração de 40 dias, a exposição é conhecida por apresentar soluções inovadoras e levar ao público diversas formas de construir reformar e decorar casas e ambientes comerciais, o evento já está em sua terceira edição, em Campo Grande. Realizada há 12 anos em nove estados brasileiros, a iniciativa chama a atenção para o “chique que cabe no bolso” e destaca conceitos como a sustentabilidade, customização, inclusão social, tecnologia, inovação e vendas.19_suite-quem-decora

No total, a Mostra apresenta 40 ambientes, divididos em mil e setecentos  metros de área construída que se transformaram em vitrine para os profissionais da área e encantam os visitantes em busca de soluções inovadoras, sofisticadas e cheias de personalidade, sempre com os olhares atentos para a sustentabilidade. “O Morar Mais, é uma chance única para os profissionais que buscam ser reconhecidos no mercado, que hoje é tão concorrido”, ressalta o diretor executivo do Morar Mais, Rafael Tonetto.

A ideia, segundo Rafael Tonetto, foi transformar os espaços em ambientes residenciais e comercias, mostrando ao público que é possível ter um projeto feito por um profissional, otimizando o espaço e o investimento, de forma viável e mais personalizada.

A mostra existe para apresentar ao visitante que é possível morar com sofisticação sem gastar muito, viabilizando soluções para realizar seus sonhos com custo acessível. Além dos espaços para visitação, a casa é sede de uma área com restaurante e cafeteria. Além disso, diversas atividades culturais fazem parte da programação da Mostra, como apresentações de artistas locais e oficinas gastronômicas.

Diferencial

O Morar Mais por menos 2015, como nas outras duas edições, procura homenagear Campo Grande. Na primeira edição em 2012, homenageou a cidade por meio da fachada, que resgatava a identidade arquitetônica e cultural da rua 14 de Julho. Já na segunda edição, o prédio de época do Rádio Clube Cidade foi sede do evento, que tinha como missão revitalizar não só a estrutura do local, como também resgatá-lo culturalmente. Na terceira edição, o emblemático casarão branco, da Avenida Afonso Pena, foi o escolhido dessa vez. O projeto arquitetônico foi projetado no início dos anos 70 pelo arquiteto campo-grandense Avedis Balabanian e desperta a curiosidade de quem passa pela frente ainda nos dias atuais.

Solidariedade38_meu-rancho-container

Nesta edição, o evento ainda é palco de três projetos filantrópicos que são apresentados ao público que deseja saber mais sobre iniciativas que beneficiam milhares de pessoas. São elas: Talento solidário que, por meio de um grupo de arquitetos da Capital, reforma escolas carentes, proporcionando melhores condições físicas de ensino; SBT do Bem, um projeto que reúne diversas ações beneficentes e, por fim, o Instituto Amigos do Coração que promove atividades de conscientização e valorização da vida humana.

Serviço – A mostra funciona de terça a domingo, das 16h às 22h e está localizada na Avenida Afonso Pena, 4.179. (Com Assessoria)

Fotos: Divulgação