Polícia prende três suspeitos de executar jovem a tiros em Sonora

64

Redação

Francisco Wilson de Souza Coelho, de 27 anos, Jucelio Cassiano Teixeira, de 42 anos, e Adriano Silva de Jesus, de 33 anos, foram presos pela Polícia Civil nesta quarta-feira (4), apontados como principais suspeitos de executar a tiros o jovem Lucas da Silva Candido, de 19 anos. O crime ocorreu por volta das 22 horas da última segunda-feira (2), na rua Dos Buritis, no centro de Sonora.

Lucas seguia a pé com três amigos quando os ocupantes de um veículo preto desceram do carro atirando contra o jovem. Ele foi alvejado com seis tiros no tórax e na cabeça e morreu na hora. Seus amigos conseguiram fugir e não ficaram feridos.

Conforme o delegado Francis Flávio Tadano Araujo Freire, responsável pelo caso, logo após o homicídio os investigadores da Polícia Civil de Sonora verificaram as imagens das câmeras de seguranças de estabelecimentos comerciais da região e constataram que o veículo usado pelos autores era um VW Voyage preto, placas OAR-7329.

Horas depois o veículo foi encontrado na garagem de Francisco, localizada na avenida Pedro Pedrossian, em Sonora. O carro foi reconhecido pelos amigos da vítima, que estavam no momento do crime.

As armas, capuzes e roupas usados no crime foram apreendidos, bem como as 12 cápsulas das No interior do veículo, os investigadores encontraram impressões digitais de Jucelio. Ele, Francisco e Adriano foram confrontados pelas evidências e confessaram que combinaram de matar Lucas, devido uma briga que tiveram anteriormente durante uma festa no Clube da Usina Sonora, ocorrida em 20 de setembro deste ano.

Ainda conforme o delegado, as investigações apuraram que Francisco estava dirigindo o carro e seguiu a vítima antes do crime, enquanto que Jucelio e Adriano estavam armados com revolveres calibre 38 e efetuariam os disparos.

Assim que Lucas passou ao lado do carro, que estava estrategicamente estacionado num local ermo e escuro, Jucelio e Adriano desceram do veículo e efetuaram 12 disparos contra Lucas, inclusive depois que ele já estava caído no chão.

As armas, capuzes e roupas usados no crime foram apreendidos, bem como as 12 cápsulas das munições encontradas na fossa de esgoto da casa de Francisco.

Conforme o delegado, o trio foi indiciado por homicídio duplamente qualificado, por motivo de vingança e emboscada, que é considerado hediondo e prevê pena de 12 a 30 anos de reclusão. (Com informações do site Edição MS)

Foto: Divulgação