Os três presos que estavam na carceragem da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro e fugiram nesta madrugada (7) foram identificados. Eles têm idades entre 27 e 40 anos e passagens por crimes como tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.

Evadidos e procurados pela polícia, os detentos foram identificados como Alessandro Salles de Pinho, de 35 anos, que tem passagens por furto e tráfico de drogas; Adriano Francisco dos Santos, de 40 anos, que cumpre penas por tráfico de drogas, ameaça e lesão corporal e Cleyton Pereira de Lima, de 27 anos, que tem na ficha crimes como lesão corporal e porte ilegal de arma de fogo.

A princípio, a informação passada pela Polícia Civil é de que os presos fugiram utilizando um grampo para abrir a cela. Conforme apurado pelo Jornal Midiamax, a delegacia conta com duas celas para custódia de presos, com capacidade total para 6 detentos e, nesta madrugada, abrigava 20 pessoas.

Os presos teriam usado um grampo para abrirem a cela. Após a fuga, equipes da Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros) e Batalhão de Choque foram acionadas e fizeram buscas pelos fugitivos, mas até o momento eles não foram encontrados.

O diretor jurídico do Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul), Max Dourado, lembrou que “Não é função do policial custodiar os presos. Eles não deveriam estar na delegacia”.

Pela porta da frente

Conforme informação levantada pelo Midiamax, dois presos fugiram pela garagem da delegacia, enquanto o terceiro teria passado pelo saguão e ‘encontrado’ com um policial, que imediatamente acionou as equipes do Choque. No momento da fuga havia um delegado, dois escrivães e quatro investigadores na Depac.

Investigação

O delegado Gomides Ferreira dos Santos Neto, coordenador das Depacs, disse ao Midiamax que se houvessem vagas nos presídios, esse episódio não teria ocorrido. Segundo ele, os presos seguem custodiados nas delegacias por conta da superlotação nos presídios do Estado.

“Um procedimento para apurar as responsabilidades e como ocorreu a fuga será instaurado”, afirmou o delegado. Segundo ele, os três presos ocupavam uma cela com total de nove pessoas, sendo que a capacidade é para três. Após abrirem a cela com um grampo, ele fugiram e os outros seis detentos permaneceram no local. (Midiamax)